História dos Bairros

SANTA TEREZINHA E BANGU

A urbanização dos Bairros Santa Terezinha e Bangu começa a ser percebida após a década de 20, por ocasião da vinda da Rhodia em 1919 e do matadouro da família Martinelli na mesma década. Os primeiros moradores do bairro Santa Terezinha foram estrangeiros, podia-se notar a presença de eslavos, húngaros e lituanos, a colônia de húngaros era tão grande que mensalmente vinha um padre húngaro de São Paulo para celebrar uma missa.

A partir de 1929, com a crise do café e atraídos pela nascente indústria do ABC, há a chegada de muitos migrantes vindos do interior de São Paulo, principalmente da região de Socorro, tanto que a igreja local passou a comemorar a o dia de “Nossa Senhora do Perpétuo Socorro” em 15 de agosto.

O Bangu surge com um loteamento de 1928 com o nome de “bairro da estação”, porém só foi oficializado em 1949. O nome Bangu provavelmente teve origem com a formação de uma colônia de cariocas que trabalhavam no Matadouro, trabalhadores que fundaram um bloco carnavalesco e também um time de futebol com esse nome, o bloco durou até meados dos anos 40 e o time mudou de nome para Palmeiras, Rodrigues Porto e Bonsucesso.

A urbanização do bairro Santa Terezinha começa efetivamente em 1925, quando a “Sociedade Territorial Estação de São Bernardo Ltda.” com a “Fernando Hackradit & Companhia” e em outro empreendimento junto com o engenheiro Donnino Donini, adquirem respectivamente terrenos de 356.024 m2 e 360.888 m2, ambos  localizados na área correspondente ao bairro. Para serem loteados os terrenos sofreram aterramento, pois ficavam em várzea de rio, proximidade esta até hoje responsável por alagamentos.

Por ser alagadiço, afastado do centro e da estação ferroviária, o bairro Santa Terezinha não era muito atrativo, logo seus loteadores não viram outra saída senão implementar certas melhorias. Assim em 1928 a luz foi instalada inicialmente na Alameda São Bernardo, nesta época veio também a primeira jardineira, que ia até a estação ferroviária e fazia de duas a três viagens por dia. A estação Prefeito Saladino só viria a ser construída em 1954, após grande pressão popular, facilitando o transporte dos moradores do bairro.

Até meados dos anos 20 o bairro Santa Terezinha não era conhecido por este nome, mas por Torrinha, (foto 1), pois Torrinha era o nome dado a primeira escola da região, instalada em um casarão que possuía uma pequena torre redonda, amarela desbotada, de aproximadamente 30 metros e que possuía uma escada de madeira em seu interior e um sino no alto. Era a construção mais alta da região, o Prédio foi demolido por volta de 1949, para a instalação de uma empresa de cortiça, que empregou muitos moradores da região e outra torrinha foi erguida em homenagem a antiga, uma torrinha parecida com a anterior que ficava na Rua Rio Grande do Norte, 299, onde hoje se localiza um conjunto de prédios.

A primeira igreja do bairro Santa Terezinha foi erguida no final da década de 20, perto da casa de um dos loteadores, o Donini, ficava localizada próxima a igreja atual na Praça Rui Barbosa, era pequena, possuía uma pintura da Santa Terezinha e tinha partes das paredes com tijolo aparente. Os moradores ficaram muito penalizados com sua demolição, mas não chegaram a organizar uma manifestação. A igreja foi demolida por estar localizada em um local onde deveria ser feita uma rua. Em 1960 a nova foi inaugurada e lá está até hoje, com capacidade para 2000 pessoas. [5]

img004

Foto 1:

A escola da Torrinha, demolida em 1945. Acervo de Maria Aparecida de Paula Vicente Silvério, colaboradora do projeto, moradora da Vila Popular no bairro Santa Terezinha.

A vila popular e o clube Ouro Verde

Andando pela vila popular percebemos como é diferente o convívio entre as pessoas, com muros baixos, casas pequenas sem garagem e ruas estreitas, a relação entre pessoas é bem mais próxima, basta andar por lá em uma sexta feira a tarde para ver crianças brincando nas ruas e senhoras conversando.

A “fundação casa popular” iniciou sua construção em 1947 onde antes havia uma vacaria, em 1949 as quase 500 habitações já estavam prontas.

img007

Foto 2:

Vila Popular durante confraternização da década de 60. Acervo de Airton Maldonado Romero, colaborador deste projeto, morador da Vila Popular no Bairro Santa Terezinha.

Os preços das casas variavam de acordo com a idade do comprador, pois havia um termo que dizia que se o chefe da família morresse, se as mensalidades estivessem em dia e se pelo menos 3 mensalidades já tivessem sido pagas, seus descendentes não precisavam pagar o restante. O comprador precisava ter filhos e ganhava 1 fogão de ferro a carvão de presente ao comprar uma casa. Os sobrados tinham originalmente 3,75m por 10m e quintal de 16 m2, dois quartos e banheiro na parte superior e sala cozinha e quintal na parte inferior, hoje alguns foram alteradoe e outros completamente demolidos para a construção de uma nova casa, porém no mesmo lote.

A vila foi projetada originalmente para operários da região, mas muitos ferroviários se instalaram lá, em sua composição original podemos perceber o fenômeno da migração interna, pois muitos dos moradores vieram do interior de São Paulo, atraídos pela oportunidade de emprego das indústrias do ABC e também devido a crise cafeeira. [5]

Em 1950 foi criado o clube Ouro Verde que existe até hoje, com sede na Praça João Rosa, nesta praça havia  um salão de festas em que eram realizados casamentos e festas de aniversário. O ouro Verde possui um campo de futebol perto da estação prefeito Saladino e foi campeão diversas vezes, e ainda hoje disputa campeonatos. O bloco de carnaval do clube foi campeão do grupo principal de Santo André em 2008 e 2009, resultado de muito empenho e colaboração da comunidade.

A vila popular é quase um bairro aparte do Santa Terezinha, muitos dos seus moradores antigos assim a consideram, pois muitas foram as lutas dessa vila, que no início, ficou seis meses sem energia elétrica, lutaram por iluminação pública, pavimentação de ruas e com a ajuda do Ouro Verde, foi construído um centro esportivo com quadra e piscina, que ainda hoje existe e abriga uma EMEI.

Ainda hoje muitos dos moradores iniciais ou seus descendentes moram na vila, mas há uma tendência visível, casas estão sendo reformadas para aluguel, pois em 2006 a Universidade Federal do ABC, (UFABC), iniciou suas atividades no bairro Bangu, iniciando a demanda por repúblicas na região.

10 Respostas to “História dos Bairros”

  1. Tiago 16 de junho de 2010 at 16:35 #

    Eu achei muito interessante a história desse bairro!

    • Sandra 18 de janeiro de 2011 at 18:37 #

      Fiquei emocionada com a história, pois lá nasci, numa dessas casinhas em 1957….

  2. Cris Costa 26 de junho de 2012 at 11:22 #

    eu amo morar no bairro Santa Terezinha, é como se fossemos uma grande familia1

  3. Ana Lucia Granconato 26 de junho de 2012 at 11:24 #

    tenho raizes aqui e nem sonho em deixar esse bairro amo nossa padroeira Santa Terezinha

  4. Maria Beatriz 30 de setembro de 2012 at 15:08 #

    eu queria saber a historia do bairro Villa helena ! para meu trabalho …
    mas n acho em lugar nenhum :(

  5. Anônimo 4 de setembro de 2013 at 11:24 #

    Fiquei emocionada com a foto da torrinha. Estudei nela em 1941/2, nas duas primeiras series. As professoras vinham de SP de trem e tomavam o ônibus. Eu morava em frente aa estação e ia de ônibus com elas. A do primeiro ano chamava-se Alice Ferraz, tinha uma letra bonita e colocava o nome dela na capa de nossos cadernos. A do 2o era Julieta e havia uma chamada Pilar, q era de Jau. Lembro tb da igreja. Saudades…Parabéns pelo trabalho.
    Depois morei na vila Humaitá. História?

  6. jorge luis fagundes 22 de outubro de 2013 at 14:07 #

    meus avos maternos e paternos foram fundadores deste bairro meu pai e meus tios jogaram no ouro verde passo todos os dias por la muitas saudades

    • Anônimo 23 de outubro de 2013 at 13:05 #

      Nasci na rua Silveira Martins
      meu pai era de socorro
      o nome dele era Pedro de Moraes

      • Anônimo 13 de novembro de 2013 at 15:15 #

        prabens pela historia pois eu tambem morei ai meu pai foi um dos trabalhadores para contrucao das casas dona Ana minha mae era vsinha da dona Noemia muita saudades parabens
        gostaria de saber como ver fotos da epoca dos escoteiros ano 1957

  7. Adilson Galera 31 de outubro de 2014 at 10:41 #

    Parabéns pelo trabalho e lembrança desta nossa preciosa vila, Nasci fui criado e meus pais ainda moram na vila, saudades do futebol na rua apertadinha (quantas vidraças quebradas no jogo de taco), da velha quadra e piscinas abandonadas (que depois foram reformadas) dos amigos de infância dos jogos pelo Ouro Verde eitaaaa… dá pra escrever um livro..kkk…Abração a Todos…(Adilson Galera)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: